• CASES
    CSP - COMPANHIA SIDERúRGICA DO PECéM

CSP - Companhia Siderúrgica do Pecém

SOBRE A CSP

Constituída em 2008, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) é uma joint venture binacional formada pela brasileira Vale (50% de participação), uma das maiores mineradoras do mundo em minério de ferro, e pelas sul-coreanas Dongkuk (30%), maior compradora mundial de placas de aço, e Posco (20%), 5ª maior siderúrgica do mundo e a primeira na Coreia do Sul. Com investimento da ordem de US$ 5,4 bilhões, a CSP é a primeira usina integrada no Nordeste e a trigésima instalada no Brasil.

Localizada em uma área de 571 hectares, a CSP integra o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), no Ceará, dentro da primeira Zona de Processamento de Exportação (ZPE) brasileira, fatores fundamentais para garantir ampla competitividade ao produto nacional.

A usina, uma das mais modernas do Brasil e do mundo, iniciou a produção de placas de aço em junho de 2016. A produção é voltada para geração de produtos laminados de alta qualidade para a indústria naval, de óleo & gás, automotiva e construção civil. A capacidade instalada é de 3 milhões de toneladas de placas de aço/ano nesta primeira fase do projeto.

 

DESAFIO

A Globalsys em 2011 foi contratada pela Meta Central de Serviços (http://www.metacs.com.br) para desenvolver um sistema de gestão de terceiros para toda a indústria.

O sistema, atualmente em produção, faz a gestão de todas as empresas terceiras que prestam serviços à CSP (contratos), assim como credenciamento de pessoas e veículos, seguido da impressão de crachás e controle de acesso. O sistema atualmente gerencia aproximadamente 4 mil pessoas/dia, chegando a um pico máximo de 18 mil pessoas em julho de 2013.

O sistema, totalmente WEB, disponibiliza ainda um portal para as empresas terceiras realizarem um pré-cadastro de seus colaboradores. Esse pré-cadastro será avaliado pelo operador na CSP e mediante aprovação será gerado um crachá para acesso desse colaborador a planta da mesma. Atualmente, o sistema gerencia 497 contratos ativos. Além do controle de acesso via catracas, a Globalsys inovou com acesso via coletores de dados 3G. Esses coletores são usados para gerenciar acessos onde a infraestrutura do cliente não atende, assim sendo, o controle é gerenciado via coletores de dados 3G em tempo real, sincronizado com um webservice na nuvem, proprietário Globalsys.